A virgindade Perpetua de Maria foi proclamada Dogma em 649 no ConcílioRegional de Latrão. (Dogma é uma verdade revelada ; Verdade que é atestada pelas Sagradas Escrituras, Pela Tradição e pelo Magistério) Assim a Igreja se pronuncia: A Santíssima Virgem Maria é virgem antes, durante e depois do parto de seu Divino Filho, sendo mantida assim por Deus até a sua gloriosa Assunção.


No entanto, Somos constantemente questionados sobre virgindade de Maria e na maioria das vezes ficamos sem resposta e até se chega a desconfiar dessa verdade. O problema não está no fato de a Igreja ter proclamado tal dogma, mas de nós não sabermos dar razão a nossa fé. que Maria é virgem Antes, Durante e Depois do parto de Jesus Cristo.


Antes do parto: Que nossa Senhora concebe pela Força do Espírito santo, é nos atestado pelas Sagradas Escrituras e pela Tradição, ninguém dúvida disso.


Sagradas escrituras: (Eis que a virgem (‘almah) conceberá - Is 7,14); ( Eis que a virgem conceberá e dará à luz um filho e o chamarão com o nome de Emanuel, - Mt 1,20-22); (Foi enviado o anjo... a uma virgem... - Lc 1,26-27); (Como é que vai ser isso, se eu não conheço homem algum? - Lc 1, 27.31.34 (A Tradição vê nesse texto
um propósito de virgindade por parte de Maria (Lc 1,34; Jo 1,2; Lc 1,35)). 
Tradição: (Inácio de Antioquia; Aristides de Atenas; Justino; Santo Ireneu; Orígenes; Hipólito de Roma e etc.)


Durante o Parto: Como alguém pode dar a luz e permanecer virgem? Existem duas hipóteses para isso.


A primeira seria por via miraculosa, uma graça já que Maria não teve pecados, essa via do milagre é chamada de “útero clauso” (fechado). Nessa hipótese Maria teria sido privada das dores da gravidez já que elas são vistas como consequência do pecado de Eva: "com dor dareis filhos" - Gen. 3:16. Nessa hipótese, como vemos Jesus que atravessa paredes depois da ressurreição, no nascimento não seria diferente ele é como a luz que atravessa a janela sem lhe causar dano algum.


A segunda via é de explicação natural; tendo já acontecido na história da humanidade. Ela é chamada de “miraculosa dilatatione” (Miraculosa dilatação) uma espécie elasticidade rara do hímen.


Depois do parto: Aqui é que normalmente somos constantemente questionados e não sabemos defender a nossa fé. Normalmente as pessoas: “Está na Bíblia, Maria teve mais Filhos”. As passagens que elas usam para essas acusações são: “Mas não a conheceu até o dia em que ela deu à luz um filho.” (Mt 1,25) – “Jesus é o primogênito” (Mt 1,25 e Lc 2,7) – Os irmãos de Jesus: “Não se chama a mãe dele Maria e os seus irmãos Tiago, José, Simão e Judas?” (Mt 13,55) – (Sua mãe e seus irmão estão ai fora Mateus 12:46-50 e Marcos 3:31-35).


Nunca se esqueçam! As sagradas escrituras têm de ser lidas na sua completude e no espírito literal que foram escritas.


1° acusação - “Mas não a conheceu até o dia em que ela deu à luz um filho.” (Mt 1,25) –Esse "até" não é cronológico, mas é literário. Um exemplo: 2 Samuel 6:23 – “E até o dia de sua morte, Mical, filha de Saul, jamais teve filhos”. Depois da morte ele teve mais?


2° acusação: “Jesus é o primogênito” (Mt 1,25 e Lc 2,7). Se é o primogênito, então teve mais? Não. O substrato hebraico “Primogênito” não tem conotação de outros filhos. Além disso, Em 1922 foi descoberta no Egito uma inscrição sepulcral datada de 28-1 do ano 5 a.C, onde lê-se sobre uma mulher falecida ao dar a luz ao seu primeiro
filho: “Durante as dores do parto do meu filho primogênito, o destino levou-me ao fim da minha vida” (Michaelis in TWbNT VI, 827).


3° acusação: Jesus teve mais irmãos está na bíblia. Aqui nós precisamos saber duas coisas:


1° - No inicio os hebreus e árabes, todo o ambiente semita, não tinham uma palavra para se referir a primos e parentes próximos. Gn 13,8 (E disse Abraão a Ló: Ora, não haja contenda entre mim e ti, e entre os meus pastores e os teus pastores, porque somos irmãos.) no entanto, Ló era sobrinho de Abraão (Gn 11,27) (Esta é a história da família de Terá: Terá gerou Abrão, Naor e Harã. E Harã gerou Ló.); ainda existem inúmeros outros casos e passagens que evidenciam a mesmo uso da palavra irmão; Gn 14,16; Gn 29,15; Lv 10,4. I Cr 23,22. Assim a palavra usada para irmão também, era usada para: primos, sobrinhos e todos os parentes próximos.


2° - Nunca se afirma na Bíblia que Tiago, José, Simão e Judas seriam filhos de Maria. E a passagem que fala das mulheres aos pés da cruz: “estavam ali algumas mulheres, olhando de longe. Entre elas, Maria Madalena, Maria, mãe de Tiago, o Menor, e de Joset, e Salomé.” Mc 15,40 – Sabe o problema dessa interpretação? É achar que toda Maria que está na Bíblia é Nossa Senhora. Repito: Nunca se afirma na Bíblia que Tiago, José, Simão e Judas seriam filhos da Virgem Maria. No entanto a Sagradas escrituras afirmam outra coisa: Nossa Senhora a Virgem Maria, tinha uma irmã: “Perto da cruz de Jesus, permaneciam de pé sua mãe, a irmã de sua mãe, Maria, mulher de Clopas, e Maria Madalena - Jo 19, 25. A diferença é que agora estamos lendo a mesma passagem no evangelho de João; não dá pra pegar um pedaço separado da Sagradas escrituras e falar só a partir dele.


Conclusão: Quem afirma que os “irmãos de Jesus” se referem ao sentido estrito, tem que explicar como Jesus teria três irmãos carnais e três “primos” com os mesmos nomes. (Além de negar 2000 anos de Tradição da Igreja).

​​​​​​​

Toda a Tradição cristã e até mesmo os reformadores protestantes, como Lutero e João Calvino, professaram a virgindade de Maria. Em 1537, em seus “Artigos da Doutrina Cristã”, é o próprio Lutero quem diz:


“O Filho de Deus fez-se homem, de modo a ser concebido do Espírito Santo sem o concurso de varão e a nascer de Maria pura, santa e sempre virgem”.


Em 1542, João Calvino publicou o “Catecismo da Igreja de Genebra”, onde
se lê:


“O Filho de Deus foi formado no seio da Virgem Maria (…). Isto aconteceu por ação milagrosa do Espírito Santo sem consórcio de varão”.

​​​​​​​

Autor: Diác. Fênykis de Oliveira

Virgindade Perpétua de Maria